Objeto de meu mais desesperado desejo não seja aquilo por quem ardo e não vejo seja estrela que me beija oriente que me reja azul amor beleza faça qualquer coisa mas pelo amor de deus ou de nós dois SEJA
Paulo Leminski

Objeto
de meu mais desesperado desejo
não seja aquilo
por quem ardo e não vejo

seja estrela que me beija
oriente que me reja
azul amor beleza

faça qualquer coisa
mas pelo amor de deus
ou de nós dois

SEJA


Paulo Leminski

— há Há 3 meses com 41 notas
#paulo leminski  #leminski 
Em “O Livro dos Abraços”; Eduardo Galeano

Em “O Livro dos Abraços”; Eduardo Galeano

— há Há 3 meses com 40 notas
#Eduardo Galeano 
Receita de Ano Novo

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor de arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ver,
novo até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra
birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta ou recebe mensagens? passa telegramas?).
Não precisa fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar de arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar
que por decreto da esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.
Para ganhar um ano-novo que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

Carlos Drummond de Andrade

— há Há 3 meses com 13 notas
#Carlos Drummond de Andrade  #drummond  #ano novo  #poesia 
"O amor é como o mar: sendo infinito espera ainda em outra água se completar."
Mia Couto
— há Há 3 meses com 35 notas
#mia couto 

Tu vias apenas uma palavra. Eu, uma frase inteira.

Tu vias apenas uma palavra. Eu, uma frase inteira.

(Fonte: silabasubita)

— há Há 3 meses com 2013 notas
"Ah, não há saudades mais dolorosas do que as das coisas que nunca foram!"
Bernardo Soares / Fernando Pessoa; Livro do Desassossego
— há Há 3 meses com 63 notas
#bernardo soares  #Fernando Pessoa  #livro do desassossego 
diálogo afogueado

Coração [por uma indefinição não absoluta]

Quando um coração floresce
suas raízes intumescem:
paredes inchadas
válvulas crescidas

(explode
no que se perde)

Micheliny Verunschk 

Uma bomba em vermelho, irmã. Já ouvi dizer que cada bomba é um artefato feito para explodir ou jorrar de lá pra cá, daqui pra ali, líquidos, fluidos, pessoas… Ganhamos um rio, irmã. Perdemos o leito. Perdemos relógios. Ganhamos o dia. Onde havia um compasso perto de um ritmo respirável, explode um rasgo ofegante. O que antes da flor era bongô, agora é pandeiro. O desassossego: o grande tubarão, famélico e sem orla, uma coruja às três da manhã, um navio apontando para o segundo andar do oceano… Flores do mesmo buquê de raiz intumescida. E entendo que procuremos nos achar sem perdê-lo, mas repara, irmã, como sempre flui delicado e é belo ao explodir. É carmim por todo lado, anunciando rosas ou despedida. Mais bonita é a cor que desafia as cinzas das horas. E quando, por fim, o silêncio for transparente, como o do menino de olhos azuis e asas negras no cabelo, este dispositivo bélico (amor é uma batalha, irmã), este contador de ar por onde passam o grande tubarão, a coruja, o navio, não significa o mesmo que paz. Neste instante, começa uma guerra em um outro peito.

Ehre

(Fonte: ehreditario)

— há Há 3 meses com 29 notas
#Ehre  #Micheliny Verunschk  #poesia  #lindeza 

Roberto Carlos - Outra vez

Roberto Carlos - Outra vez

(Fonte: musicare)

— há Há 3 meses com 109 notas
Do Desejo - VIII

Se te ausentas há paredes em mim.
Friez de ruas duras
E um desvanecimento trêmulo de avencas.
Então me amas? te pões a perguntar.
E eu repito que há paredes, friez
Há molimentos, e nem por isso há chama.
DESEJO é um Todo lustroso de carícias
Uma boca sem forma, um Caracol de Fogo.
DESEJO é uma palavra com a vivez do sangue
E outra com a ferocidade de Um só Amante.
DESEJO é Outro. Voragem que me habita.

Hilda Hilst

— há Há 3 meses com 18 notas
#hilda hilst  #poema  #poesia  #do desejo 
PAISAGEM DE CHUVA

Em cada pingo de chuva a minha vida falhada chora na natureza. Há qualquer coisa do meu desassossego no gota a gota, na bátega a bátega com que a tristeza do dia se destorna inutilmente por sobre a terra.

Chove tanto, tanto. A minha alma é húmida de ouvi-lo. Tanto… A minha carne é líquida e aquosa em torno à minha sensação dela.

Um frio desassossegado põe mãos gélidas em torno ao meu pobre coração. As horas cinzentas e (…) alongam-se, emplaniciam-se no tempo; os momentos arrastam-se.

Como chove!

As biqueiras golfam torrentes mínimas de águas sempre súbitas. Desce pelo meu saber que há canos, um barulho perturbador de descida de água. Bate contra a vidraça, indolente, gemedoramente a chuva; (…)

Uma mão fria aperta-me a garganta e não me deixa respirar a vida. Tudo morre em mim, mesmo o saber que posso sonhar! De nenhum modo físico estou bem. Todas as maciezas em que me reclino têm arestas para a minha alma. Todos os olhares para onde olho estão tão escuros de lhes bater esta luz empobrecida do dia para se morrer sem dor.

Bernardo Soares / Fernando Pessoa; Livro do Desassossego

— há Há 3 meses com 6 notas
#bernardo soares  #Fernando Pessoa  #livro do desassossego  #trecho de livro 

Chico Buarque - Sem mais adeus…

Vim, cheio de saudade
Cheio de coisas lindas pra dizer
Vim porque sentia
Que nada existia fora de você
Nem a poesia, amor
Na sua ausência quis me receber
Vim banhado em pranto
Eu te amo tanto
Vem, vem aos braços meus
Sem mais adeus
Oh, vem

Composição: Vinicius de Moraes e Francis Hime

(Fonte: o-olhar-de-helena-blog)

— há Há 3 meses com 25 notas
#Chico Buarque  #Vinícius de Moraes  #francis hime  #mpb